Seguidores

domingo, 17 de março de 2013

AMAR por CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE





Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?
Postar um comentário