Seguidores

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA 2014 - VIAMÃO/RS


A Secretaria Municipal de Educação (SME) realizou no dia 29 de novembro, na Fazenda Pedagógica Quinta da Estância, o Seminário Final do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). A atividade foi voltada para professoras alfabetizadoras de toda a rede municipal (1º ao 3º ano) - como parte da carga horária de formação. Diretores e coordenadores pedagógicos também participaram do seminário como convidados.
O último seminário do ano contou com duas palestras: do escritor de livros literários para a infância e juventude, professor de História e coordenador pedagógico, Fábio Monteiro, que falou sobre a ludicidade e a importância da leitura para as crianças; e da professora Isabel Lara, que reforçou a temática trabalhada durante este ano nas formações com as professoras alfabetizadoras. Os conteúdos trabalhados neste ano tiveram ênfase na Alfabetização Matemática.
Além das palestras, o seminário contou com uma exposição pedagógica que permitiu a troca de experiências entre os docentes. Foram apresentados projetos como a caixa da matemática, sequência didática, livro da vida e problemoteca.
No final do encontro, o escritor Fábio Monteiro autografou o livro “A menina que contava”, que foi distribuído a todas as escolas.
O Pacto
O Pacto pela Alfabetização na Idade Certa é um compromisso formal assumido pelos governos municipal, estadual e federal, de assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os 8 anos de idade, ao final do 3º ano do ensino fundamental. Para desenvolver o projeto, os professores participaram de diversos encontros durante todo o ano de 2014. Além disso, as escolas representadas recebem livros e jogos para incrementarem suas bibliotecas.
Ao aderir ao PNAIC, os governos se comprometem a:
- alfabetizar todas as crianças em língua portuguesa e matemática;
- realizar avaliações anuais universais, aplicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais – INEP – junto aos concluintes do 3º ano do ensino fundamental;
- no caso dos estados, apoiar os municípios que tenham aderido às Ações do Pacto, para sua efetiva implementação.













quinta-feira, 6 de novembro de 2014

9º TRAÇANDO HISTÓRIAS - FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE






A 9ª edição da Traçando Histórias – Mostra de Ilustração de Literatura Infantil, que ocorrerá de 31 de outubro a 16 de novembro, na programação da 60ª Feira do Livro de Porto Alegre, contará com 26 ilustradores selecionados pela comissão de avaliação, que participarão cada um com dois originais. São eles: Alexandre Rampazo, Aline Abreu, Anabella López, Cláudio Martins, Cris Alhadeff, Elisabeth Teixeira, Elvira Vigna, Guto Lacaz, Hermes Bernardi Jr., João Caré, José Carlos Lollo, Kammal João, Lúcia Hiratsuka, Marcelo Pimentel, Márcia Széliga, Maria Eugênia L. Cabello Campos, Mariângela Haddad, Marlette Menezes, Renata Bueno, Romont Willy, Silvana Rando, Suppa, Talita Nozomi e Veruschka Guerra.

















terça-feira, 21 de outubro de 2014

SOBRE LITERATURA E ESCOLHAS LITERÁRIAS por FÁBIO MONTEIRO






Sensibilizo-me com as delicadezas.
Sensibilizo-me com as delicadezas.

Com um ambiente posto ao acolhimento, os cheiros e gostos escolhidos para os sentidos. 
Das palavras que encontram moradia numa melodia terna que adentra ouvidos, poros, terminações nervosas e instalam-se na sensibilidade das memórias.
Admiro, sem a pretensão do exagero, as rodas de conversas, os bate-papos com ou sem intenções. Os sorrisos largos que soltam das bocas, os joelhos que se afrouxam das pernas, as mãos que dançam a frente do corpo, no balanço dos dedos, ao topo esticadas acima das cabeças.

E começa... Começa para não terminar.

Emoção inexplicável que sinto quanto encontro gente disponível para o outro, no abraço apertado de querer bem, no agudo e profundo sentimento de estar perto e servir com sua presença para o bem-estar de todos.  Nas palavras ditas e naquelas que se sentam na sombra da palavra do outro, num silêncio de compartilhamento.

Gosto das sombras, das velas, das flores. Todas brincam com meus sentidos. 

Gosto do pretexto para o encontro com a palavra e dos desdobramentos que elas ecoam na gente, no outro, em tantos, ligações etéreas entre o sentido de existência do outro, com todos, com tudo, conosco.
Divino manifesto.

Delicadeza das cores vibrantes. Do vermelho que salta como vida explícita na palavra e no jogo que faz dela força, luz, sombra, esperança, derrota, ameaça, angústia, beleza, encantamento, fantasia, desastre, sonho, como a própria vida representada em palavras.

Se no princípio era o verbo, ele se fez presente em forma de encantamento no nosso encontro. 
E que isso seja movimento para transformação.


Parabéns a todos que contribuíram na história do Colégio para que esses momentos de encontros sejam eternos. 
Um beijo especialíssimo para a Marina e essa magnífica equipe das bibliotecárias do Colégio Parthenon,  a Telma e ao Emerson. 
Foi lindo demais!!!!

Fábio Monteiro. 


sábado, 18 de outubro de 2014

RETALHO DE TEMPO por FÁBIO MONTEIRO




Resgate um retalho de tempo e lembre do momento da escolha em
ser professor(a).
Um tanto de cor desse início, um tanto de brilho agregado ao longo do percurso, um tanto de sentimentos costurados um a um, ao longo da vida. Das teorias estudas às práticas que deram sentido para um tanto de tudo.

Remende o retalho inicial com os outros panos, cores da história construída nessa trajetória. E sorria pelas conquistas: foram tantos erros e inúmeros acertos, tantas emoções guardadas em caixinhas nas lembranças
, tantas pessoas que levaram você com elas.
Ao final, costure com os sonhos próximos e distantes, com as esperanças que não cessam, com os dias que virão em retalhos de conquistas.
Construir nossa profissão leva a mágica da multiplicação de sentidos, o arrojo em ser verdadeiro e humano, a alegria em compor a colcha da vida do outro, porque eles levam consigo um pedaço do nosso retalho.
Com o meu retalho em mãos, depois de tanto tempo de profissão, só desejo aos que chegam nela alegria maior que a minha, um tanto maior que as nossas batalhas vencidas, que tenham linhas coloridas para tecerem tecidos surpreendentes e sabedoria ao longo das suas vidas.
E que sejam felizes, como nós somos.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

PNAIC - VITÓRIA DAS MISSÕES/RS.

PROFESSORAS ALFABETIZADORAS DA ESCOLA ROQUE GONZALES FAZENDO A CONTAGEM DO LIVRO "A MENINA QUE CONTAVA"



A MENINA QUE CONTAVA



LEVANTAMENTO COM A TURMA DO 3º ANO SOBRE O QUE PODEMOS CONTAR


TRILHA ELABORADA A PARTIR DA HISTORIA



DEMONSTRANDO OS OBJETOS QUE A MENINA CONTAVA


DRAMATIZANDO O LIVRO




MOSTRANDO OS OBJETOS PARA A TURMA APÓS A CONTAGEM






OLHA A CONCENTRAÇÃO DA TURMA



OLHA OS CÁLCULOS DA MENINA


OS ALUNOS VIVENDO A HISTÓRIA



 JOGANDO A TRILHA



COISAS QUE O 1º ANO CONTA




sábado, 11 de outubro de 2014

32ª FEIRA REGIONAL DE NOVO HAMBURGO

 Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo - Administração Popular
Novo Hamburgo, 11/10/2014







Da esquerda para direita: Patrono Feira do Livro em 2014, Santiago, representante do projeto vida, Marisa Dela Pace, patronesse da feira do livro de 2013, Renate Gigel, e Secretário de Cultura, Carlos Mosmann, entrando no clima da Feira Regional do Livro

Cultura - 07/10/2014 16:10

Lançada a 32ª Feira Regional do Livro


Na terça-feira, dia 7 de outubro, foi lançada a 32º Feira Regional do Livro de Novo Hamburgo. A divulgação ocorreu durante café da manhã, que reuniu a imprensa e convidados. O encontro ocorreu no saguão do Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno. O público presente pôde conhecer Neltair Abreu, o Santiago, patrono dessa edição da Feira do Livro. Além disso, foi apresentado o conceito deste ano: “Mostre sua Língua”. A ideia é explorar a diversidade cultural na construção de um referencial literário, discutindo e aprofundando o debate acerca do idioma. O tema assume uma duplicidade de sentidos, é uma provocação à descobertas de novas culturas pelo idioma.

“A diversidade tem um valor muito alto para a nossa comunidade, por isso, vamos fazer uma feira do livro em que possamos reunir todos os públicos da região”, comentou o secretário da Cultura, Carlos Mosmann. A realização da Feira Regional do Livro é da Prefeitura de Novo Hamburgo, por meio das secretarias de Cultura (SECULT) e Educação (SMED), com apoio da Caixa Econômica Federal, Fundação La Salle, e produção da Um Cultural. “Com o tema Mostre sua Língua podemos retratar sobre a diversidade do nosso povo, tanto nos idiomas, como também na área cultural”, salientou o secretário de Educação, Alberto Carabajal.

No lançamento da Feira Regional do Livro também ocorreu a passagem de título da patronesse da feira do livro de 2013, Renate Gigel, para o mais novo patrono do evento, Santiago. “Espero que te traga a mesma felicidade que essa feira me trouxe”, ressaltou Renate ao desejar boas-vindas para o patrono dessa edição. Santiago relembrou que já participou da feira de Novo Hamburgo. “Já estive aqui durante muitos anos trazendo os meus livros, e agora, em 2014 venho com uma alegria imensa por ser patrono desse grande evento da região”, comentou.
Programação:A estrutura da 32º Feira Regional do Livro de Novo Hamburgo já está sendo montada na Rua Engenheiro Ignácio Chistiano Plangg, no Centro da cidade, junto à Praça 20 de Setembro. Durante os dias 10 a 19 de outubro, a comunidade que passar pelo local poderá encontrar as bancas de livros e muitas atrações gratuitas como sessões de autógrafos, peças de teatro, contação de histórias, sessão happy hour, seminários, bate-papos, oficinas e entre outras atividades. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3593-2013 ou pelo e-mail culturanh@novohamburgo.rs.gov.br.

 
Dia 13 de outubro – segunda-feira

8h30 – Bate-papo Fábio Monteiro – Local: Teatro

8h30 – Hora do Conto – Professora Tatiana Thomazi – Local: Sala Multiuso

9 horas – Palestra: Utilizando recursos acessíveis da cultura nos processos de trabalho do SUS – Mimi Aragon – Local: Espaço Inclusão

10 horas – Bate-papo André Neves – Local: Teatro

10 horas - Hora do Conto – Professora Cristina Fonseca – Local: Sala 31

10 horas – Hora do Conto – Professora Tatiana Thomazi – Local: Sala Multiuso

14 horas – Bate-papo Fábio Monteiro – Local: Teatro

14 horas - Hora do Conto – Professora Cristina Fonseca – Local: Sala 31

14 horas – Hora do Conto – Professora Estela Maris Siminski – “Tico e os lobos maus” – Local: Sala Multiuso

14 horas – Seminário Livro “Diário do Acolhimento na Escola Infância” – Local: Espaço Inclusão

14h30 – Dança – Davi Ernani de Souza – ABEFI

15h30 – Bate-papo André Neves – Local: Teatro

15h30 - Hora do Conto – Professora Estela Maris Siminski – “Tico e os lobos maus” – Local: Sala Multiuso

18h30 – Feevale – Cidades Criativas – Mary Sandra Guerra Ashton – Local: Teatro

19 horas – Sessão Happy Hour

20 horas – Exibição do filme “Colegas” com áudio descrição Tagarellas – Local: Palco Principal



VEJA TODA PROGRAMAÇÃO:


http://www.jornalnh.com.br/_conteudo/2014/10/noticias/regiao/90963-32-feira-regional-do-livro-de-novo-hamburgo-e-lancada-durante-cafe-da-manha.html

sábado, 4 de outubro de 2014

A MENINA QUE CONTAVA NA FEIRA DO LIVRO DE FRANKFURT/ALEMANHA.




O Livro "A MENINA QUE CONTAVA" VIAJARÁ PARA A FEIRA INTERNACIONAL DO LIVRO DE FRANKFURT EM 2014.  O BRASIL É O PAÍS HOMENAGEADO.
ABAIXO, IMAGENS DO CATÁLOGO DA EDITORA PAULINAS.






                                         




sábado, 27 de setembro de 2014

COMO NATUREZA E VOVÔ VIROU ÁRVORE por PETER O' SAGAE

Entre tantas alegrias para um autor - obra nasce, cresce, vira flor - receber uma resenha crítica de tamanha sensibilidade; aquece o coração, alarga o sorriso, reverbera emoção. Querido Peter O. Sagae, obrigado por seu refinamento literário, pelo cuidado em olhar no fundo dos rios, pela beleza e generosidade de um texto que respira vida.



27 de setembro de 2014


árvores de vida e boa sorte

quase crônica, Peter O'Sagae outra vez...



Todos nós temos um sonho das coisas que desejamos ser para não perecer. Joaquim sonhava em ter uma semente no umbigo. Ele era um menino destinado à liberdade das coisas da natureza, como o vento, o morro e o rio, particularmente um rio da largura de seus ombros mais belo que qualquer outro que um poeta poderia inventar, porque corria pela cidadezinha onde nasceu o menino: um rio que lava a alma e leva um pouco de sua pessoa a um outro mais caudaloso, percurso de rio afora...


Com uma prosa delicada, Fábio Monteiro escreveu Como natureza, um texto que deságua na companhia das aquarelas de Elisabeth Teixeira (Abacatte, 2013) para representar um lugar mais distante que o infinito. Em uma primeira leitura, este lugar é própria infância e sua psicosfera especial que se abre, cresce, ilumina-se e pode se desenvolver através de belezas, ainda que uma dor se enfie como agulha pelo umbigo de Joaquim. Numa noite fria, veio o sintoma da rápida doença que o médico descobriu, então, enraizada pelo corpo do menino. “A mãe baixou a cabeça para esconder os olhos que choviam. O pai entendeu a gravidade e foi embora para sempre.” Porém, Joaquim sorriu. Compreendia que uma vida nova transbordava dentro de si. Viraria semente para ser plantado na terra. E assim foi.


Através de uma narração ligeira, o infinito desdobra-se na segunda leitura como o campo onde se cultivam as saudades, onde cresceu bela uma grande árvore – porque existia amor!

É essa imagem viva de otimismo de que necessitam a literatura infantil e seus leitores, resposta compreensiva e consoladora para uma ocorrência natural no percurso humano. Como as plantas e os animais, nascemos, crescemos, desenvolvemos e fenecemos – mas, também se extinguiria o sentimento que não é matéria, no mesmo instante? Uma mensagem de esperança vem aninhar-se em muitos corações, nos livros para crianças, sob o simbolismo da árvore da vida que se renova a cada semente lançada na direção do futuro.

Regina Chamlian e Helena Alexandrino, com intensa suavidade e alegria, convidam o leitor iniciante a caminhar com uma família de tartarugas terrestres e a pensar na importância de uma vida muito longa como o tempo quarando histórias. Não era à toa que vovô sempre fechava os olhos para ver melhor as aventuras nas antigas tardes cheias de sol... e batia forte o coração de Albertina, a menor de todas as tartaruguinhas. Se passa o tempo, passa também o vento para tirar o mundo de seu lugar e uma lengalenga apressa a morte do avô. Albertina não disse uma palavra, não chorou uma lágrima. Porém, chovia. Dentro de seu coração.


Com o livro Vovô virou árvore (Edições SM, 2009), as autoras revelam que os sentimentos jamais terminam e não há esquecimento para quem costura histórias de uma vida em outra vida, com os frutos mais doces dos laços familiares colhidos pela memória!


* * *

P.S. Ontem o começo da tarde era azul, retirei a caixa do esconderijo de presentes que guardo meses e anos, sem abrir. A caixa veio um pouco amassada para cima da mesa. Dentro, livro, literatura, segredos, sete envelopes contendo sementes de crisântemo, girassol, cravo vermelho, cravo branco, camomila, amor-perfeito mais amor-perfeito de Regina Chamlian e Helena Alexandrino. Gratidão por essa companhia palavra e imagem, doze horas da noite, doze horas do dia. No entanto, não sou eu hoje o aniversariante. Meu pai é quem nasceu no dia 27 de setembro – e isso faz muito tempo. Para ele dedico a amizade com escritores e ilustradores...

 
 

Se a literatura para crianças
também 
não nos serve, a quem servirá? 


http://dobrasdaleitura.blogspot.com.br/2014/09/arvores-de-vida-e-boa-sorte.html